Bem-estar animal


Bem-estar deve ser definido de forma que permita pronta relação com outros conceitos, tais como: necessidades, liberdades, felicidade, adaptação, controle, capacidade de previsão, sentimentos, sofrimento, dor, ansiedade, medo, tédio, estresse e saúde. Objetiva-se apresentar uma definição de bem-estar animal atendendo os critérios mencionados, associada a uma explicação sobre a avaliação do bem-estar. A relação entre homem e animais no contexto do Bem-estar Animal é analisada considerando diferentes situações, tendo como norteamento o conceito das cinco liberdades: Todos os animais devem:

  1. Ser livres de medo e estresse.
  2. Ser livres de fome e sede.
  3. Ser livres de desconforto.
  4. Ser livres de dor e doenças.
  5. Ter liberdade para expressar seu comportamento ambiental.

As cinco liberdades que visam à análise sob o ponto de vista do animal, e não somente sob o ponto de vista do homem. Para tal o Bem-estar Animal tem como base três conceitos principais, que permeiam todos os estudos e o convívio com os animais: sentimentos/comportamento (pois os animais são seres sencientes, ou seja, possuem sentimentos e, portanto sofrimento), funções biológicas (as necessidades básicas e fisiológicas dos animais como alimentação e saúde) e por último, mas não menos importante às características de sua vida natural, ou seja, a liberdade para expressar seus comportamentos naturais. Quando se trata de animais, ciência e ética devem sempre andar lado a lado. Portanto a ciência do Bem-estar Animal pode ser uma grande aliada no aprimoramento de nossa relação com animais. Os benefícios no final das contas se voltarão para o próprio animal homem.

As organizações de bem-estar animal podem exercer papel fundamental na educação do público em relação à guarda responsável e aos problemas e soluções para a população na rua. Investir na próxima geração por meio da educação das crianças pode trazer benefícios e ser extremamente eficaz em longo prazo. Há muitos recursos educativos disponíveis.

Apoiar e investir em pesquisa e desenvolvimento, visando a demonstrar como métodos humanitários de criação de animais ajudam a proteger e a desenvolver economias rurais.

Reconhecer que boas práticas e políticas locais e globais de criação animal são fundamentais para salvaguardar o bem-estar das pessoas, dos animais e do planeta como um todo.